sábado, 22 de janeiro de 2011

Usar mal ou fazer mau uso?

Imaginemos um estudante que começa sua redação com a seguinte frase:

"O principal problema das grandes cidades brasileiras é o caos na urbanização e o mal uso dos recursos públicos".

Aparentemente está tudo bem com a oração. Entretanto, é mais comum o equívoco numa expressão como “mau uso” do que numa expressão como “mau aluno”. O problema está no fato de “uso” ser um substantivo abstrato (vem do verbo “usar”) e “aluno” ser um substantivo concreto.

A explicação aparece quando empregamos o verbo ou o substantivo. Se empregarmos o verbo: “Ela usa mal”, (temos o advérbio, contrário de “bem”), mas, ao empregarmos o substantivo: “Ela fez mau uso”, (temos o adjetivo: contrário de “bom”). A confusão entre usar mal e fazer mau uso deve ser o responsável por esse erro, ainda tão frequente. Continua valendo a antiga lição: mau/bom, mal/bem.

E não devemos esquecer que “mal” também pode ser substantivo, como no exemplo: “a luta do bem contra o mal” e até conjunção subordinativa temporal, em: “mal entrou na sala, viu aquilo”, indicando momento exato.

Vejamos agora a correção do texto:

"O principal problema das grandes cidades brasileiras é o caos na urbanização e o mau uso dos recursos públicos".

Nenhum comentário: