sábado, 26 de julho de 2008

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

São classificadas - de acordo com a conjunção ou locução conjuntiva que as introduz - em causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, proporcionais e temporais.

Causais
Indicam a causa da ação expressa pelo verbo da oração principal.

Principais conjunções causais: porque, pois que, uma vez que, visto que, visto como, já que, porquanto, como etc.

"Ângela começou a sorrir PORQUE SEU NAMORADO LHE ENTREGARA O PRESENTE”.

"COMO O CONHEÇO BEM, cobrei a dívida”.

"Fazia tudo que lhe viesse à cabeça, JÁ QUE ESTAVA RICO”

Comparativas
Estabelecem uma comparação com a ação indicada pelo verbo principal.

Principais conjunções comparativas: que/do que (precedidos de tão, tanto, mais, menos, melhor, pior, maior, menor, na oração principal), como, assim como, assim etc.

Não quero que meus alunos aprendam QUE NEM ROBÔS.

"Lutei COMO UM CAMPEÃO”.

Observação: Freqüentemente omite-se o verbo da oração subordinada adverbial comparativa.

Concessivas
Indicam uma concessão à idéia expressa pelo verbo da oração principal, isto é, admitem uma contradição ou um fato inesperado.

Principais conjunções concessivas: embora, ainda que, posto que, a menos que, se bem que, conquanto, mesmo que, nem que, apesar de que, (por mais) que, (por muito), que etc.

POR MAIS QUE EU GRITASSE, ela continuava distante.

AINDA QUE FALEM, não acredito no que dizem.

Condicionais
Indicam a situação necessária à ocorrência ou não da ação do verbo da oração principal.

Principais conjunções condicionais: se, caso, exceto, salvo, desde que, contanto que, sem que, a menos que, a não ser que etc.

Sua presença seria necessária, SE NÃO FOSSE HOJE.

Não chorem SEM QUE APRESENTEM A PROVA DO DESAPARECIMENTO.

CASO VOCÊ QUEIRA IR AO JOGO, telefone-me.

Observação: A locução conjuntiva como se sintetiza as idéias de comparação e hipótese. Alguns autores desdobram a locução desta forma:

Vibre COMO SE seu time fosse o campeão. (Vibre como vibraria se seu time fosse campeão)

Esse desdobramento é artificial; parece-nos preferível considerar a locução como comparativa.

Conformativas
Indicam uma conformidade, um acordo entre o fato que expressam e a ação do verbo da oração principal.

Principais conjunções conformativas: conforme, como, consoante, segundo.

"De defunto não tinha medo, só de gente viva, CONFORME DIZIA”.(A. Prado).

COMO DISSEMOS, as eleições serão neste ano e a posse em janeiro do próximo ano.

Consecutivas
Indicam a conseqüência resultante do fato expresso pelo termo da oração principal.

Principais conjunções consecutivas: (tão) ... que, (tanto) ... que, (tal) ... que, (tamanho) ... que, de forma que, de modo que, de sorte que, tanto que etc.

"Era uma voz tão grave QUE METIA MEDO”.(A. Meyer)

"Tamanho foi o seu enlevo, QUE NÃO VIU CHEGAR A PATROA”.(Monteiro Lobato)

Observação: A locução para que antecedida de muito ou demais introduz uma oração consecutiva:

O contrato era muito bom PARA QUE ELE RECUSASSE.

Finais
Indicam o fim, o objetivo do fato enunciado na oração principal.

Principais conjunções finais: para que, que (= para que), a fim de que, porque.

A lua sai de cena PARA QUE O SOL POSSA BRILHAR.

Proporcionais
Indicam uma relação de proporcionalidade com o verbo da oração principal.

Principais conjunções proporcionais: à proporção que, à medida que, ao passo que, (quanto mais) ... mais, (quanto mais) ... menos etc.

Quanto mais pensava na vitória, MAIS CONCENTRADO IA FICANDO.

Temporais
Indicam a circunstância de tempo em que ocorre a ação do verbo da oração principal.

Principais conjunções temporais: quando, enquanto, assim que, logo que, até que, depois que, desde que, que, apenas, mal, sempre que, cada vez que, antes que etc.

A idéia me veio QUANDO FOLHEEI AS PÁGINAS DA REVISTA.

MAL ENTROU EM CASA, brigou com os irmãos.

Diferença entre oração subordinada adverbial causal e coordenada sindética explicativa

É difícil, às vezes, distinguir uma oração subordinada adverbial causal de uma oração coordenada sindética explicativa. Eis alguns artifícios que podem auxiliar na distinção desses dois tipos de oração:

a) Geralmente, a oração que antecede a oração coordenada explicativa tem o verbo no modo imperativo.

Fiquem quietos, que o aniversariante já vem.

Verbo no imperativo: fiquem.
Oração coordenada sindética explicativa: que o aniversariante já vem.

b) A oração subordinada adverbial causal pode ser colocada no início do período, introduzida pela conjunção como, o que não ocorre com a coordenada sindética explicativa:

Não fui à festa PORQUE ESTAVA CHOVENDO.

COMO ESTAVA CHOVENDO, não fui à festa.

Nenhum comentário: